Notícias

Comunicado

Na sequencia do processo disciplinar 11/2017 instaurado pela FPAK , no dia 27 de Setembro de 2017 à empresa Red Line Motorsports e ao seu piloto Bruno Ponte esclarecemos o seguinte:

  1. Achamos estranho que a “notificação” do mesmo tenha sido dada na RTP Madeira, mesmo antes de ser do conhecimento dos visados. Não sabíamos que o referido órgão de comunicação social tem o estatuto de clube ou organização.

Mais se lamenta que na peça jornalística a noticia começa com uma equipa de ralis, que foi ouvida e deu o seu parecer sobre a noticia, e que no caso da Red Line Motorsports esta empresa não teve direito ao contraditório, como obriga um jornalismo coerente.

Jornalismo sensacionalista e de Facebook de baixo nível, pois não fazemos parte do “establishment” nem do grupo de amigalhaços dos quais se fazem as noticias mais parvas diariamente.

É bom saber que as nossas conquistas e qualidade ainda fazem comichão cá na terrinha….. e como alguém um dia disse o madeirense será sempre o pior inimigo do madeirense!

 

  1. Na referida peça é mencionado que o piloto e a sua equipa participaram e foram penalizados na prova do trofeu Rotax, no kartódromo de baltar, onde nem sequer este inscrita e nem sequer participa no trofeu referido. Mais uma vez rejubilamos com a acuidade e aferição da qualidade jornalística neste processo.

 

  1. Após notificação no dia 3 de Outubro, formos informados de uma suspensão preventiva para averiguação dos factos ocorridos na quinta prova do nacional de karting decorridos no kartódromo de Bombarral, e dos quais NÃO TEMOS ACUSAÇÂO FORMADA até a data.

 

  1. Após a referida prova já tinha decidido esta empresa responsabilizar judicialmente e criminalmente a comissária que redigiu um falso relatório de uma agressão a um mecânico por parte do nosso piloto, agressão essa que nunca aconteceu e foi negada pelo próprio mecânico.

 

  1. Será também responsabilizado o diretor de prova e o diretor do colégio de comissários que durante o fim de semana manteve uma atitude persecutória ao piloto da Red line Motorsports e á sua equipa. Os mesmos mantiveram uma arrogância e altivez relativamente ao piloto e à sua equipa somente proporcional à sua incompetência. Não sabemos se os mesmos terão alguma má experiencia na madeira ou se tem algum trauma em não ser habitantes desta região autónoma, mas também não é algo que nos diga respeito.

 

  1. Pela referida penalização ter ocorrido de factos falsos e por estes elementos de fim de semana assim o terem decidido, decidindo ainda a classificação de um campeonato da maneira mais ordinária possível, exigiremos a sua irradiação deste desporto. Também é algo que já devem conhecer bem pois já foram convidados a sair de alguns autódromos…

 

  1. Lamentamos que sejam estas as pessoas que gerem as provas e julgamos ser tempo de a própria Federação alterar esta impunidade que vivem estes parasitas do karting, e que finalmente seja criada uma equipa que gira a tempo inteiro as provas, com pessoas que não estejam ligadas a clubes, kartódromos e ou marcas e equipas, pois o esforço que as equipas e os pilotos e as suas famílias fazem para manter o Campeonato Nacional de Karting não se coaduna com comportamentos viciados e de maus princípios onde a impunidade destes queques de fim de semana tem levado à saída de muitos e bons pilotos.

 

  1. Por ultimo salientamos que esta equipa só teve a sua licença suspensa uma única vez, onde foi a tribunal com dirigentes locais e onde também nos habituamos a ganhar, sendo que esta situação não será nova para nós.

 

  1. Em relação ao piloto Bruno Ponte relembramos que o mesmo tem uma carreira exemplar, dentro me fora do país, é atleta da representação nacional de karting (equivalente á selecção nacional da modalidade) e não será manchada por gente mal formada e de má índole. Quando uma Federação trata assim os seus atletas teremos mesmo de repensar se vale a pena investir na mediocridade que abona nesta modalidade.

 

Funchal, 4 de Outubro de 2017

Aurélio Rodrigues

Diretor Geral