Notícias

Red Line Motorsport garante três pódios no Campeonato de Portugal de Karting

João Dias na categoria X30 Super Shifter Gentleman e Bruno Ponte na X30 Shifter Júnior concluíram a quarta e penúltima prova do Campeonato de Portugal de Karting na 2.ª posição.

Duas prestações positivas, à qual se juntou a de António Santos que também garantiu o 3.º lugar do pódio na categoria Cadete. Contudo, António Santos voltou a ser afastado da luta pela vitória logo na primeira manga de qualificação, quando sofreu um toque que o fez sair de pista, numa altura em que era segundo classificado. A ACDME – clube organizador – nada fez perante o incidente, sendo ainda mais grave esta atitude, já que António Santos, de apenas 10 anos de idade, à partida para a jornada do Bombarral ocupava a 2.ª posição entre 20 concorrentes e estava na luta pelo título de campeão nacional Cadete.

             
A única equipa insular a disputar o Campeonato de Portugal de Karting de 2018, regressou, mais uma vez, à Madeira com a missão de dever cumprido e satisfeita com o profissionalismo e empenho de todos os elementos que dela fazem parte. “Conseguimos conciliar tudo o que se pretende numa equipa: profissionalismo, empenho, entreajuda, convívio saudável e condições ideais para praticar um desporto que tanto gostamos. Só lamentamos que algumas organizações de provas sejam medíocres. Desde que se diga a verdade e não se falte ao respeito a ninguém, podemos dar a nossa opinião. E a nossa opinião em relação à ACDME, clube organizador da quarta prova do Campeonato de Portugal de Karting, no Bombarral, é a de que tem uma organização medíocre.

E é sobretudo grave, quando prejudica um jovem piloto, o António Santos, que por acaso é da nossa equipa (mas poderia ser de outra), e que tem apenas 10 anos de idade. É um jovem talentoso e que, entre 20 adversários, surgiu no Bombarral na segunda posição do campeonato com legitimas aspirações para este ano se sagrar campeão nacional, apesar de o penalizarem nas duas provas anteriores, sem justificação. Mas, mais uma vez, a ACDME nada fez depois de um adversário o colocar o António Santos fora de pista, logo na primeira manga de qualificação, o que o obrigou a fazer um trabalho de recuperação até conseguir, de forma notável, alcançar o 3.º lugar na Final. Várias pessoas, responsáveis por equipas, pilotos, comunicação social, etc, viram que o António foi colocado fora de pista… mas a ACDME não viu! Nós estamos de consciência tranquila de que trabalhamos corretamente e, por isso, todos os elementos da nossa equipa e, sobretudo, os pilotos António Santos, Manuel Soares, Bruno Ponte e João Dias estão de parabéns”, comentou, Aurélio Rodrigues, chefe da equipa Red Line Motorsport.